QUEM SOMOS

 

Objetivo da ASCOM conforme seu ESTATUTO SOCIAL

CAPÍTULO II Dos Fins da Associação

Artigo 2º – A ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DA PARAIBA tem por finalidade:

  1. a) Congregar os que exercem atividades empresariais em todas as suas finalidades;
  2. b) Ser o Órgão representativo da classe perante os poderes públicos;
  3. c) Colaborar na promoção do desenvolvimento econômico da Paraíba e do País;
  4. d) Promover realização, no Estado, de Congressos ou Reuniões para debater os problemas socioeconômicos da região;
  5. e) Proporcionar aos seus associados, orientação em matéria jurídica, fiscal-tributária e econômica, bem como assistência em assuntos relacionados com os seus interesses de ordem estritamente profissional e;
  6. f) Promover a publicação ou patrociná-la por si ou em colaboração com outras entidades, de Boletins, Jornais, editando assuntos de natureza jurídica, econômica ou de interesse geral das classes que representa.
  7. g) Comemorar solenemente a data de 16 de julho, consagrada ao “Dia do Comerciante”.

 

Realizamos um PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO através do qual foi definido um Plano de Ação e um PROPÓSITO que é o seguinte:

 

“Tornar o associado melhor informado, mais eficiente e competitivo”.

 

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES NA FORMA DE “PERGUNTAS E RESPOSTAS”.

 

1.  A quem queremos atingir com essa comunicação? (Público Alvo)

Empresários de todos os segmentos empresariais (agropecuário, industrial, comércio e serviços) de todos os bairros da cidade de João Pessoa

2. Por que optamos por fazer a divulgação?

(Qual é o papel preciso da comunicação? Que novidades ou benefícios querem compartilhar?)

O papel principal da comunicação será DESPERTAR no empresariado a importância do associativismo e dos benefícios que poderá receber com a prestação de serviços disponibilizada pela ASCOM.

A promoção da cultura associativa tem sido considerada como a principal ferramenta para que micro e pequenas empresas quebrem seus paradigmas de egoísmo e desconfiança mútua. A capacidade das pessoas trabalharem juntas, visando a objetivos comuns em grupos e organizações, é definida pelo sociólogo norte-americano James Samuel Coleman (1926-1985), como seu capital social.

Ainda segundo Coleman, citado por Antônio Costa em seu trabalho “Por uma cultura da cooperação”, grupos, organizações e sociedades têm um capital social elevado quando são capazes de:

 estabelecer objetivos comuns de médio e longo prazo, rompendo com o imediatismo;

 gerar coesão grupal, organizacional ou social em torno desses objetivos, rompendo com o individualismo;

 manter constância de propósito na perseguição desses objetivos, mesmo em face à adversidade, rompendo com a volubilidade e a falta de persistência.

Para ilustrar mais a grande importância da organização associativa para o desenvolvimento econômico e social de uma cidade ou região, veja abaixo uma lista das diferentes formas de capitais intangíveis necessários ao desenvolvimento.

 

Seguem também algumas frases que consideramos importantes para nossa reflexão e que reforçam o nosso desejo de encontrar parceiros para fortalecer a nossa ASCOM e criar as condições para que através dela seja possível contribuir para o fortalecimento das empresas de João Pessoa e da Paraíba (a área de atuação da ASCOM é o estado da Paraíba) 

“A vida associativa é um instrumento de exercício da sociabilidade. Por meio dela você conquista novos amigos, expande seus conhecimentos, exercita a liderança e atua como agente transformador da sociedade”. (Tom Coelho).

“Uma sociedade não pode ser rica antes de ser inteligente. Não pode existir uma economia realmente sólida e desenvolvida sem que haja uma elite cultural voltada para os bens espirituais, capaz de guiar, julgar e interpretar os esforços da comunidade”. (José Monir Nasser)

“O associativismo é um meio eficaz para a defesa dos interesses dos empresários frente ao ambiente em que estão inseridas suas atividades e também contribui para o desenvolvimento econômico e social da cidade, do estado e do país”. (FEDERASUL)

“O verdadeiro desenvolvimento é, principalmente, um processo de ativação e canalização de forças sociais, de melhoria da capacidade associativa, de exercício da iniciativa e da criatividade”.   Celso Furtado

3. O que queremos que as pessoas pensem ou sintam?

Confiança no sentido de que UNIDAS SERÃO MAIS FORTES e que na ASCOM poderão encontrar o apoio e os esclarecimentos sobre dúvidas e ajuda para a resolução dos seus problemas relacionados com suas atividades empresariais.

4. Que justificativa estamos fornecendo como fundamento?

(O conjunto de razões que justifica a aceitação do que queremos dizer.)

Que é importante poder contar com uma instituição representativa e que seja capaz de contribuir para a solução das dificuldades que normalmente ocorrem no dia-a-dia dos negócios;

Que tendo uma associação fortalecida será possível disponibilizar produtos e serviços que atendam as necessidades dos associados;

5. Quais as diferenças em relação aos concorrentes do setor?

A amplitude das oportunidades de atuar em diferentes segmentos empresariais com oportunidades ilimitadas para criar alternativas de prestação de serviços e ajudar as empresas na solução de problemas junto aos poderes públicos.

A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS será um importante diferencial competitivo.

Estão previsto a implantação dos seguintes:

  • Rede de Descontos (CARTÃO CLUBE DE VANTAGENS);
  • Trabalho em 34 ruas do Centro Histórico de João Pessoa para ajustes de PLACAS ao Código de Postura do Município.
  • Produtos para análise e concessão de crédito BOA VISTA, SCPC;
  • Assessoria jurídica
  • CONVÊNIOS com instituições de Ensinos, área de saúde etc.
  • Consultoria na área de RH, especialmente destinada a avaliação de desempenho, clima organizacional, treinamentos etc.
  • Central de Compras para Material de Construção
  • Formação de Núcleos Setoriais, a começar pelo segmento de Óticas, em seguida Oficinas Mecânicas, Escolas particulares etc.;
  • Consultoria empresarial especializada
  • Palestras e Eventos instrutivos (Café Criativo) e equivalentes
  • Implantação de Câmara de Mediação e Arbitragem.

A ASCOM, conforme o seu Estatuto Social, é uma Entidade  MULTISETORIAL e em função dessa condição que se justifica a organização de Núcleos Setoriais para congregar empresas de diferentes segmentos, facilitando a compreensão das suas respectivas necessidades para um melhor atendimento e integração.

Os Núcleos Setoriais terão um Coordenador, que será obrigatoriamente um associado eleito diretamente entre seus pares, juntamente com o Vice Coordenador conforme previsto em regulamento interno próprio.

Estão previstas inicialmente a organização e implantação dos seguintes Núcleos Setoriais:

  1. Comércio de Material de Construção
  2. Serviços de Consultoria Organizacional
  3. Oficinas Mecânicas
  4. Óticas
  5. Concessionárias de Veículos
  6. Indústrias de confecções de pequeno porte
  7. Estabelecimentos particulares de ensino
  8. Outras que poderão ser identificadas como necessárias ou que possam ser sugeridas pelos Diretores e/ou associados.

6. Como isso contribui para o posicionamento da marca/produto junto ao cliente?

O posicionamento deve ser de uma Entendida representativa forte, baseada na sua MISSÃO, na VISÃO e em VALORES bem definidos (ver abaixo) e que preste diferentes e importantes serviços aos associados deve obter a necessária credibilidade para garantir a sua sustentabilidade.

MISSÃO

  • Representar os interesses dos seus associados, disponibilizar produtos e serviços úteis e capazes de contribuir para melhor capacitação e competitividade empresarial, bem como atuar diretamente em iniciativas voltadas para o desenvolvimento de João Pessoa e região.

VISÃO

  • Ser reconhecida até 2020, como organização associativa de referência na integração da indústria, comércio e das empresas de prestação de serviços e na influência institucional, alicerçada por uma atuação independente e representativa.

VALORES DA ASCOM/PB:

  • Respeito (ao individuo, as organizações, ao meio ambiente, etc.)
  • Cooperação(desenvolvimento de relações e atividades em cooperação com organizações e indivíduos com competências complementares para atendimento de interesses comuns).
  • Ética e Transparência (honestidade nas relações, exposição de dados e informações que demonstrem o efetivo desempenho da organização).
  • Valorização das Pessoas(Criação de condições favoráveis e seguras para as pessoas se desenvolverem integralmente, com ênfase na maximização do desempenho e comportamentos favoráveis à excelência).
  • Compromisso com a excelência(Desempenhar as funções de forma ágil e proativa, no atendimento às demandas de seus associados e partes interessadas, na busca incessante da inovação na gestão).

7. Que considerações práticas foram levadas em conta?

Não há restrição jurídica para se promover o associativismo em geral e a importância da ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL, condição inclusive que se torna cada vez mais necessária no Brasil.